Jucá já foi afastado uma vez por suspeita de corrupção

Muito antes que o Moro, o Financial Times já dizia há dez anos atrás
Essa matéria foi impressa na Folha de São Paulo em 24 de abril de 2005. Só pra lembrar a todos que o Sr Jucá não foi a julgamento por essas acusações de 2005 pois usou das protelações que a lei lhe permite e conseguiu ter o processo extinto pelo STF por PRESCRIÇÃO …‪#‎10medidascontracorrupção‬ ‪#‎10medidas‬

http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u68573.shtml

As acusações de obtenção fraudulenta de empréstimos subsidiados e de apropriação de verbas públicas por parte do ministro da previdência, Romero Jucá (PMDB-RO), são mais um sinal da “corrupção endêmica que assola o Brasil”, diz nesta segunda-feira reportagem do diário britânico “Financial Times”.

“A corrupção é um fato do cotidiano e as chances de se ser punido por isso são próximas a zero”, diz o jornal. Sobre as acusações de que é alvo, o ministro disse que isso não o perturba. “Estou dormindo tranqüilo”, disse, segundo o “FT”.

O ministro é acusado de oferecer fazendas que não existem como garantia a um empréstimo contraído por ele ao Basa (Banco da Amazônia), além de denúncias de abuso de poder econômico na eleição de 1994 e desvio de recursos públicos (relatório da Receita Federal aponta desvios de verbas à TV Caburaí, pertencente à Fundação Roraima).

A despreocupação do ministro, destacada pelo jornal britânico, “pode muito bem ser reflexo da sua inocência”, mas, “inocentes ou culpados, tais alegações contra os ricos e poderosos no Brasil raramente os deixam preocupados”.

O diário lembra que, em 90% das auditorias realizadas pela CGU (Controladoria Geral da União) em 741 municípios brasileiros descobriram irregularidades graves na aplicação de recursos públicos.

O ministro do Controle e da Transparência, Waldir Pires, disse que os desvios podem ultrapassar 20% do montante transferido aos municípios –equivalentes “ao roubo de mais de R$ 18,5 bilhões no ano passado”, lembra.

Tribunais lentos são um dos problemas no combate à corrupção, diz a reportagem. “Temos leis excelentes. O problema é a implementação”, disse o presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, Nicolao Dino. A quantidade quase ilimitada de apelações que se pode interpor em um processo tende a favorecer os “réus poderosos”. “Os direitos do réu precisam ser protegidos, mas o preço disso não pode ser um mal social muito maior, que é a impunidade”, segundo Dino.

A condenação do juiz Nicolau dos Santos Neto em 2001 pelo desvio de R$ 169,5 milhões e as investigações desde então sobre casos de corrupção e de lavagem de dinheiro são um sinal de que “um alarme pode estar soando para os corruptos no Brasil”, diz o jornal. “Mas, por ora, a maioria deles está dormindo tranqüilamente.”

Em novembro de 2008, o ministro do STF) Cezar Peluso declarou a extinção da punibilidade, por prescrição da pena, do então líder do governo Lula no Senado e arquivou o processo, com a concordância do Ministério Público Federal. O pedido de arquivamento foi feito pelo advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que ainda defende Jucá, alvo de inquérito na Operação Lava Jato.

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s