Números novos do caso Telexfreee. Stephen Darr diz que são pelo menos 2,1 milhões de pessoas

Em 35 anos lidando com casos de falência, Stephen B.Darr tem visto muita coisa feia. Mas nada chega perto da escala da Telexfree.
DarrStephen B.Darr
photo by Jonathan Wiggs

“- Nunca  na história um Trustee (administrador) foi responsável por dividir o que for possível recuperar entre 2 milhões e 100 mil  fraudados de Boston à Uganda que dizem ser credores de mais de 1 bilhão de dólares.”
“- Eu me sinto muita simpatia por essas pessoas”, disse Darr. “Eles perderam um monte de dinheiro. Eles merecem obtê-lo de volta, e é o meu trabalho trazer de volta para eles o mais rápido e da forma mais justa possível “. (Será praticamente impossível satisfazer a todos).

Darr recebe muitos emails por semana, de cortar o coração. São “vítimas” em todo o mundo que estão se perguntando como e quando eles podem obter seu dinheiro de volta.
   Citando alguns emails por exemplo de um professor de Gana (África) lhe agradeceu por seu trabalho e disse que espera “intervenção de Deus”. Uma mulher de 21 anos de idade, Framingham, contou que a mãe tinha caído em uma depressão por causa das suas perdas com a Telexfree. Um homem da Ilha da Madeira,  se ofereceu para uma tour pela Ilha, se ele viajar para lá.

Carmen Ortiz, Procuradora da República do Estado de Massachusetts, apreendeu 150 milhões dólares no valor dos ativos da empresa, incluindo os carros e barcos de um dos seus proprietários. No Brasil, onde Telexfree originou e foi encerrada em 2013, as autoridades congelaram  350 milhões de dólares.

Numa matemática básica significaria que cada vítima receberia 238 dólares. Mas não vai ser tão simples. Darr e sua equipe devem estabelecer um processo de reivindicações em que se confirme e identifique contas e seus titulares na Telexfree e quanto dinheiro foi perdido, garantindo que uma reivindicação paga no Brasil não seja apresentada e paga também nos EUA. (Os casos no Brasil e EUA são similares, autoridades policiais cooperam entre si, mas são processos separados. Dinheiro apreendido aqui e lá não vão para um mesmo caixa)

“Há um monte de complexidade nisso ”, disse Darr, subestimando drasticamente o caso.

Sem um veredicto de culpado, não há dinheiro significativo para Darr distribuir.
Dois proprietários da Telexfree baseada nos Estados Unidos estão enfrentando julgamento por acusações de fraude criminal. Um deles, Carlos Wanzeler, fugiu para a sua terra natal, Brasil quando o suposto esquema entrou em colapso, e é um fugitivo , de acordo com os promotores. O outro, James Merrill, está em casa com uma pulseira de rastreamento GPS, toque de recolher e restrições de comunicação e movimentação sem autorização judicial. Os dois homens negam as acusações, mas podem passar até 20 anos na prisão se forem considerados culpados.

Nesse meio tempo, as vítimas Telexfree devem esperar.

Stephen B. Darr, 68 anos, trabalha com duas telas de computador e um laptop sobre a mesa e uma vista para o porto de seu modesto espaço em uma torre de escritórios de Franklin Street, em Boston.

Ele é natural Quincy e graduado no Boston College, com MBA pela Universidade de Chicago e uma queda por pesca de salmão no norte do Canadá.

Ele é bem conhecido em Boston nos círculos de falência. Entre outros casos, ele tem lidado com reclamações relacionadas com fundos alimentadores para Bernard Madoff.

“-Falência raramente produz histórias felizes para alguém. Telexfree é especialmente angustiante por causa do grande número de vítimas, disse Darr. “- Muitos deles são pessoas que perderam poupanças significativas de uma vida. Alguns não falam Inglês, e uma porção estão em situação irregular, então eles estão com medo de chamar a atenção para si.”

“-Eles são o sal da terra, gente trabalhadora, ” disse Darr. “Muitas das pessoas não entendem que a Telexfree realmente não era um negócio, e que tudo o que foi gerado realmente era fumaça e espelhos“. (Fumaça e espelhos é uma expressão que se refere à truques, enganação,ilusão. Ilusionistas usam fumaça e espelhos para fazerem muitos truques)

“-No Tribunal de Falências dos EUA em Worcester, havia vítimas que pediam ao Juiz Melvin S. Hoffman (juiz do caso) para deixar eu reabrir o negócio”, disse Darr, “como se houvesse um negócio para reabrir.”

Darr e dois membros de sua equipe de Boston estão vasculhando dados de Telexfree, e seu programa de computador de contabilidade, que é todo em Português e inclui 1,3 bilhões de transações de clientes. Darr disse ter intimado registros de bancos, advogados e contadores e está dubruçado sobre cerca de 200 mil documentos e espera decifrar como Telexfree operou, reuniu e distribuiu dinheiro.

O escritório de Darr recebeu 29.000 papeis do caso. “-É muito volumoso para um processo ”, disse ele. Só para lidar com uma reivindicação em papel, fotocópia, e transformá-la em um documento online custa cerca de 10 dólares por pedido, disse ele.

“Se você tem um milhão de reivindicações, terá  9 milhões de dólares em despesas – e menos dinheiro para as vítimas”.
Como em outros casos de falência, Darr e seus colegas serão pagos a partir do mesmo pote de dinheiro, como as vítimas.

Os funcionários do Darr e um escritório de advocacia que contratou para ajudar, Murphy & King, podem ganhar até 550 dólares por hora pelo seu trabalho sobre o caso. Darr pode ganhar um máximo de 3 por cento do total de fundos distribuídos às vítimas e credores.

Darr estimou que analisando uma reclamação por 10 minutos, levaria oito anos para uma pessoa trabalhando em tempo integral processar 100 mil pedidos.
Em vez disso, ele prevê a construção de um site que permitirá que os requerentes preencham um formulário on-line e obtenham uma resposta rápida sobre se eles são elegíveis para receber o dinheiro, e uma estimativa de quanto seria.

Nadine Cohen, chefe da unidade de direitos do consumidor do Greater Boston Legal Services, que presta assistência jurídica a pessoas de baixa renda, tem trabalhado com grupos comunitários, como o Chelsea Collaborative para ajudar a fornecer informações às “vítimas” Telexfree.

“O número de pessoas é simplesmente esmagador ”, disse Nadine Cohen. “Nosso interesse é ter certeza de que as pessoas de baixa renda que realmente nunca receberam qualquer dinheiro de volta, tenham seus direitos preservados -.

Ela também está trabalhando com promotores e o escritório de Darr para garantir que as pessoas em situação irregular no país e que foram vítimas – às vezes perdendo suas economias da vida na Telexfree – possam apresentar pedidos sem medo de represálias por parte da Imigração.

“Nós queremos ter certeza de que os direitos de todos sejam protegidos ”, disse Cohen.”Eu acho que Stephen Darr tem sido muito sensível a estas questões.”

No final, Darr terá de supervisionar um processo que trata a todos de forma igual.
“Nenhuma pessoa que tenha investido 300 mil dólares e recebido 100 mil de volta é mais elevado na hierarquia do que as 60.000 vítimas sul-Africanas que apareceram recentemente representadas por seu advogado, e requerendo sua parte.”

“Nós temos que passar pelo processo. Eu não posso ter favoritos “, disse Darr.
“Eu tenho o dever de fazer.”

Ele disse que os promotores partilham do mesmo pensamento que é indenizar as vítimas de forma rápida e o mais equitativa possível.
“- Mas eles também têm a preocupação de colocar os bandidos na cadeia.”

Matéria originalmente escrita por Beth Healy do Boston Globe

;

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Números novos do caso Telexfreee. Stephen Darr diz que são pelo menos 2,1 milhões de pessoas

  1. Maestri disse:

    Novidades da Telexfria americana = mais uma vitória !! Merrilindo fica sem os 4 milhões que tentava desbloquear

    http://marlborough.wickedlocal.com/article/20141216/NEWS/141217296

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s